Sobre a Maternidade

A CHEGADA DE ALGUÉM MUITO ESPECIAL MERECE UM LUGAR ESPECIAL

A Maternidade da SANTA CASA DE AVARÉ, é referência brasileira no atendimento a gestantes e bebês saudáveis ou de risco.

Responsável por ajudar a trazer ao mundo milhares de crianças desde sua inauguração oferece amplas condições para tratamento e um qualificado grupo de profissionais especializados e em constante aprimoramento.

Nossas instalações são novas para o melhor conforto para as mães e seus bebês.

Fotos do COMPLEXO

Dúvidas Frequentes

Dicas para mães de primeira viagem

 

Aqui você vai saber o que é importante ao procurar a maternidade, o que deve levar no momento da internação, cuidados no período da internação até o parto.

Documentos necessários: Para que o processo de internação seja o mais breve possível, é necessário que a gestante esteja acompanhada de um responsável maior de 21 anos e que venha munida dos seguintes documentos:

Pedido médico de internação;

RG e CPF da paciente e do responsável

Carteirinha de identificação do convênio ou cartão SUS, conforme o caso;

Guia de autorização do convênio ou senha;

Carteirinha de pré-natal ou carta do médico;

Exames realizados.

Caso o convênio não emita a guia de autorização, a paciente deve certificar-se de que seu plano dá cobertura às acomodações do Hospital.

Recomendações para Internação

Em caso de cesárea, a chegada deve ser feita três horas antes do procedimento cirúrgico (no mínimo). Nestes casos, deve-se manter jejum de alimentos por 8 horas e de água por 4 horas.

Cuidados da internação ao parto

Orientamos que as mães não utilizem: Esmaltes coloridos ou com gliter, maquiagem e cremes hidratantes, produtos químicos fixadores no cabelo, próteses capilares (alongamentos ou apliques), jóias (incluindo aliança), brincos ou piercings.

O que trazer para a maternidade?

Para mãe:

Camisola discreta que facilite a amamentação – 02

Calcinha de algodão – 05

Toalha de banho – 01

Par de chinelos – 01

Pacote de absorvente noturno – 02

Material de higiene pessoal

 

Para o bebê:

Macacões – 05

Body de manga curta e longa – 05

Mijões – 05

Pares de meia – 03

Manta o cobertor conforme o clima

Pacote de fralda – 02

Documentos Necessários para o Registro de Nascimento

Pai e Mãe Casados: Certidão de Casamento

Pai e Mãe Solteiros: Certidão de Nascimento ou RG

Pai Solteiro e Mãe Casada: Certidão de Nascimento ou RG do Pai e Certidão de Casamento da Mãe

Pai Casado e Mãe Solteira: Certidão de Nascimento ou RG da Mãe e Certidão de Casamento do Pai

Pai e Mãe Divorciados: Certidão do 1º Casamento com Averbação de Separação ou Divórcio

Pai Solteiro e Mãe Divorciada: Certidão de Nascimento ou RG do Pai e Certidão do 1º Casamento com Averbação de Separação ou Divórcio da Mãe

Pai Divorciado e Mãe Solteira: Certidão de Nascimento ou RG da Mãe e Certidão do 1º Casamento com Averbação de Separação ou Divórcio do Pai

Observação: Em todos os casos, é necessário apresentar também um xerox da Declaração de Nascido Vivo (Folha Amarela)

Qual nome dar ao seu bebê?

Você sabe quais são os nomes mais populares no Brasil? De tempos em tempos surgem novos personagens, heróis, músicas, e assim vão desenhando a escolha dos nomes dos recém-nascidos.

Segundo uma pesquisa realizada pela revista Superinteressante, os 50 nomes mais comuns no Brasil são João e Maria, que estão no topo de um ranking feito pela publicação. Eles são seguidos por nomes como Antônio e José.

É sabido que os nomes variam de época em época, depende muito dos personagens das novelas que estão fazendo sucesso, ou então do cantor ou da música que toca nas rádios. Por exemplo, nas décadas de 60 e 70 o nome Edson era o mais escolhido pelas mães, pois Pelé vivia o auge de sua carreira como jogador de futebol.

Já na década de 20 até 1950 os mais usados eram Sebastião, Benedito, Rosa e Joaquim. Nessa época o nome Sebastião era o terceiro nome mais comum entre os meninos, porém atualmente é difícil de encontrar recém-nascidos com este nome. João se manteve como o segundo nome mais escolhido por décadas, só perdendo esta posição recentemente.

Rafael é um nome que apareceu nos anos 80 e 90 e até hoje tem seu espaço garantido. Por outro lado, o nome Ricardo entrou na lista dos queridinhos nos anos 70, mas logo saiu de moda e não voltou mais a compor a lista.

Do mesmo modo que ocorrem homenagens, há nomes que acabam por ser evitados porque estão ligados negativamente a famosos. Assim, nos anos 90, o nome Fernando perdeu a popularidade por conta do ex-presidente Fernando Collor.

Em 2012 os nomes femininos mais comuns foram: Sophia, Júlia, Isabella, Alice e Manuela. E os masculinos: Miguel, Arthur, Davi, Gabriel e Lucas, que é um dos mais comuns desde os anos 90.

Algum desses nomes é o escolhido para o seu bebê? Ou ainda está em dúvida? Clique AQUI para obter ajuda na escolha do nome de seu bebê!

Cuidados no pós-parto

Após nove meses de profundas mudanças no corpo da gestante, um dia chega o grande momento: o nascimento do bebê. Todos sabem que a gravidez não é doença e que o parto em algum momento vai acontecer, porém não podemos esquecer que alguns cuidados devem ser tomados após esta ocasião tão especial.
O período logo após o parto é chamado de puerpério, e é o momento onde ocorrem intensas modificações físicas, hormonais e psicológicas em um curto período de tempo. Todos os órgãos se recuperam das alterações ocorridas ao longo da gravidez, com exceção das mamas, que começarão a produzir o leite.

Após um período de 24 a 36 horas as mulheres e seus bebês recebem alta da maternidade, portanto devem tirar todas as dúvidas com seu médico e equipe multiprofissional ainda durante sua permanência no hospital, para que possam ir para suas casas confiantes e seguras.

Independente se o parto foi normal ou cesárea, as puérperas necessitam manter uma alimentação saudável e equilibrada, rica em proteínas (carnes magras, peixes, leite, queijo, ovos e leguminosas como a soja e o feijão). Por outro lado, é recomendável retirar o excesso de açúcar, sal, gordura animal e frituras.

O ideal é que se beba muito líquido, matéria prima para produção do leite, dando preferência para suco de frutas, leite e água, evitando sempre o consumo de bebidas alcoólicas. Não fumar ou utilizar drogas ilícitas, principalmente se estiver amamentando, é outro fator de suma importância.

A mamãe deve usar roupas confortáveis e aconselha-se o uso de sutiã, adequado, proporcionando maior sustentação das mamas, prevenindo flacidez, além de impedir que o “leite empedre”. O uso de cintas não é obrigatório, embora exista o mito de que elas são necessárias.

A secreção genital que as puérperas apresentam chama-se lóquios. Este processo de loquiação é decorrente da cicatrização da área do útero onde estava situada a placenta. No início é vermelha viva (lóquios rubros) e gradativamente vão se tornando mais escuros (fusco) e depois de aproximadamente dez dias tornam-se amarelados (flava), e desaparecem após 6 (seis) semanas. Os lóquios têm cheiro característico, porém não desagradável. Na presença de cheiro forte e desagradável devemos pensar em infecção e o tratamento deve ser administrado por um médico imediatamente.

A automedicação deve ser totalmente proibida nessa fase, podendo levar a sérios riscos tanto para a saúde da mãe quanto para o recém-nascido. Vários medicamentos “passam para o leite” alterando sua quantidade e qualidade. Outro aspecto importante a ser abordado é o da higiene pessoal. A mulher no pós-parto deve redobrar a atenção, tomando banhos diários inclusive lavando os cabelos e trocando o absorvente toda vez que for necessário. O uso de absorventes internos é permitido após a cicatrização da episiotomia (nome dado ao corte feito na região genital para ampliar a passagem do bebê). Tanto a cicatriz de episiotomia quanto a da cesárea devem ser higienizadas com água e sabonete pelo menos uma a duas vezes por dia.

As dores abdominais decorrentes da cesárea e as causadas pela episiotomia desaparecem gradativamente e são controladas com simples analgésicos prescritos no momento da alta hospitalar. Dores mais fortes acompanhadas de vermelhidão e inchaço no local da cicatriz devem ser comunicadas imediatamente ao médico obstetra As relações sexuais podem ser iniciadas, se for de desejo da mulher, após a completa cicatrização das feridas cirúrgicas. Nesta fase o epitélio vaginal está mais fino e a lubrificação vaginal prejudicada, portanto as relações sexuais devem ser mais cuidadosas para que não haja grande desconforto. É importante discutir com o marido ou companheiro a forma mais conveniente para que o casal possa retomar as relações de forma prazerosa para ambos.

No puerpério, as mulheres começam a se preocupar novamente com a silhueta de seu corpo, porém é preciso paciência. A perda de peso imediatamente após o parto, pela saída do recém-nascido, placenta e de líquido amniótico é em torno de 4,5 a 5,0 kg. Outros 1,5 a 2,0 kg adicionais serão perdidos nos próximos 10 dias pela eliminação do líquido retido no organismo ao longo da gravidez. Se houve um ganho de peso excessivo durante a gravidez, é necessário buscar auxílio de um nutricionista para que ele possa estabelecer um cardápio elaborado para cada caso. Os exercícios para combater a flacidez abdominal, assim como a prática de esportes podem ser iniciados 15 dias após parto normal e depois de 60 dias após cesárea.

A alegria da chegada do bebê muitas vezes pode ser substituída por medo, insegurança e ansiedade. Isso é normal, uma vez que a rotina diária da nova mamãe sofre grandes mudanças e as atenções antes voltadas para ela, agora são direcionadas para o bebê. Aos poucos, tudo isso é superado, uma vez que a mamãe vai se acostumando com o bebê e consequentemente se torna mais tranquila para cuidar dele. Porém, se insegurança, irritabilidade, choro frequente, falta de interesse e tristeza impedirem que a mãe cuide de seu bebê, o médico deve ser avisado, pois podem ser sintomas de depressão puerperal, situação que exige tratamento.

Pega correta
O recém nascido deve estar olhando para a mama

O queixo toca a mama

Lábios bem abertos e apoiados na aréola

Sucção forte e sem dor

Não pode haver barulho / estalos de sucção

Como o leite materno é produzido?

O leite materno é produzido nos alvéolos sob a ação de diversos hormônios liberados pela placenta, como estrogênio, progesterona e prolactina, porém a ejeção do leite ocorre devido à ação de outro hormônio, produzido pela hipófise, chamado ocitocina, que é responsável pela contração uterina e pela contração das células mioepiteliais que envolvem os alvéolos produtores do leite. A ocitocina é liberada pelo estimulo de sucção do bebê na mama.

Tipos de leite

Colostro: Produzido nas primeiras 72 horas após o parto, é amarelado e grosso, sai em pequenas quantidades. É o que a criança necessita nos primeiros dias de vida, pois contém nutrientes necessários para ela nesta fase.

É a primeira vacina do bebê, pois contém anticorpos maternos que vão ajudá-lo a não contrair infecções. Também é rico em substâncias que favorecem o crescimento, estimulam o desenvolvimento do intestino do bebê, preparando-o para digerir e absorver o leite maduro. O colostro é laxativo e auxilia a eliminação do mecônio (primeiras fezes do recém-nascido).

Leite Maduro: Contém os nutrientes necessários para o bebê crescer. Ele parece ralo, o que pode levar a pensar que o leite é fraco, mas esta aparência aguada é normal e fornece água suficiente para o bebê. A composição desse leite muda durante a mamada. No começo, é rico em proteína, vitaminas, minerais e água. No final da mamada contém gordura, que vai fornecer energia. Por isso, recomendamos que a mamada inicie e termine em uma mesma mama, ou seja, realizando um “rodízio” das mamas.

Por que evitar o uso de mamadeira, chupeta, chuca ou protetor de mamilo, bico intermediário?

A limpeza pode não ser adequada;

Se as mãos não foram lavadas antes do preparo e a água utilizada para preparar o leite não for adequada pode ser fonte de contaminação

As formas de sugar o peito e a mamadeira, chucas, chupetas e bicos  intermediários são diferentes; o bebê pode confundir e passar a mamar errado, sem tirar do peito a quantidade de leite que necessita e passar a chorar mais, não ganhar peso ou desistir de mamar no peito;

Para o sucesso na amamentação

A mãe tem que estar disposta e encorajada para doar-se ao seu filho a sua maior fonte de riqueza: a mama que produz e emana o leite!

A mãe produz leite e tem a mama correta para o seu bebê, por isso não aconselhamos a mãe a oferecer sua mama para outro bebê, pois modifica a produção de leite que é especial para o seu bebê de acordo com seus dias de vida e seu padrão de sucção, e pode ser meio de transmissão de doenças.

Amamentação

Proporciona aumento dos laços afetivos entre mãe e bebê, pois cada mamada é um momento único e especial. Dar de mamar ajuda no desenvolvimento adequado dos dentes, diminui a incidência de cáries e problemas na fala. Para a mãe, ajuda a reduzir os riscos de sangramento no pós parto e faz o útero voltar ao tamanho normal mais rápido.

Estamos preparados com uma equipe multiprofissional para dar a você todo suporte sobre o aleitamento materno que você precisa receber para iniciar este elo de amor com seu bebê!

Por que amamentar?

Contém vitaminas, minerais, gorduras, açúcares, proteínas, todos apropriados para o organismo do bebê;

Possui muitas substâncias nutritivas e de defesa, que não se encontram no leite de vaca;

O leite da mãe é adequado, completo, equilibrado e suficiente para o seu filho, pois seu organismo produz as defesas e nutrientes especiais para ele;

Não existe leite fraco, existem dificuldades no decorrer da amamentação;

Só ele tem substâncias que protegem o bebê contra algumas doenças;

O leite materno é limpo, na temperatura ideal e não requer preparo;

Não apanha sujeira como a mamadeira;

Dar de mamar ajuda no desenvolvimento adequado dos dentes, diminui a incidência de cáries e problemas na fala;

O leite materno não precisa de complemento até os seis meses de idade, ou seja, não precisa de água e/ou chá;

Aumenta os laços afetivos, pois cada mamada é um momento único e especial para a mãe – bebê – pai;

Amamentar logo que o bebê nasce diminui o sangramento da mãe após o parto e faz o útero voltar mais rápido ao tamanho normal;

Diminui o risco de câncer de mama e ovários;

Evita gastos com leite, mamadeiras, bicos, materiais de limpeza, gás, água;

Teste do Pezinho

O Teste do Pezinho é um exame de prevenção, cuja principal vantagem é detectar precocemente vários tipos de doença, evitando problemas graves que, se não tratados, levam à deficiência intelectual ou causam prejuízos à qualidade de vida da criança. O exame é rápido e seguro, feito a partir da coleta de algumas gotinhas de sangue do calcanhar do bebê, por profissionais preparados e com material descartável.

 

O Teste do Pezinho é obrigatório por Lei e coberto por todos os planos de saúde. É composto por seis diagnósticos:

Fenilcetonúria;

Anemia falciforme e Hemoglobinopatias;

Fibrose cística;

Hipotireoidismo congênito;

Heperplasia Adrenal Congênita;

Deficiência de Biotinidase.

Teste da Orelhinha

O Teste da Orelhinha é um exame simples para saber se está tudo bem com a audição do seu filho. Um aparelho eletrônico com fone é colocado no ouvido do bebê, o que permite ao médico ou fonoaudiólogo verificar se a criança ouve normalmente. O exame não tem contraindicações e pode ser feito com o bebê dormindo. Recomenda-se que o teste seja feito no primeiro mês de vida, mas todos os bebês devem passar pelo exame.

A Lei 12.303/10 obriga todos os hospitais e maternidades do país a realizarem o exame, gratuitamente, nas crianças nascidas em suas dependências.

Teste do Olhinho

O teste do olhinho (ou teste do reflexo vermelho) é um exame simples e indolor que deve ser realizado na primeira semana de vida do bebê, preferencialmente antes da alta da maternidade. Serve para detectar e prevenir diversas doenças oculares, assim como o agravamento dessas alterações, como uma cegueira irreversível.

Ao contrário do teste do pezinho, que é conhecido nacionalmente (até por ser obrigatório), os testes da orelhinha e do olhinho são menos “famosos” entre os pais. A explicação para esta pouca popularidade se deve ao fato de que ambos os testes são realizados somente em alguns Estados e cidades do país.

Este teste é feito de maneira simples e rápida, em aproximadamente 5 minutos, e não precisa sequer do uso de colírios. Utiliza um aparelho chamado oftalmoscópio, que parece uma “lanterninha”, de onde sai um feixe de luz em direção às pupilas e observa-se o reflexo que vem delas. Numa sala escurecida, quando esta luz atinge a retina, os olhos saudáveis refletem tons principalmente de vermelho homogêneos e simétricos. O fenômeno é semelhante ao observado em fotografias.

Já quando existe alguma alteração, não é possível observar o reflexo, ou sua qualidade é ruim, esbranquiçada. A comparação do reflexo entre os dois olhos também fornece informações importantes, como diferença de grau entre olhos e estrabismo.

O teste do olhinho previne e pode diagnosticar doenças como a retinopatia da prematuridade, catarata congênita, glaucoma, retinoblastoma, infecções, traumas de parto e a cegueira.

Obrigatoriedade do exame: Não existe uma lei federal que obrigue a realização deste exame. Apenas alguns estados brasileiros possuem leis que garantem o exame “Teste do Olhinho” em hospitais e maternidades públicas e privadas. Dentre eles estão: Bahia, Distrito Federal, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Paraná, Pernambuco, Rio de Janeiro, Rio Grande do Norte, Rio Grande do Sul, Santa Catarina e São Paulo.

Planos de Saúde: Desde junho de 2010 é obrigatório aos planos de saúde o pagamento para a realização do Teste do Olhinho, conforme decisão da ANS – Agência Nacional de Saúde Suplementar.

CHEGADA A RECEPÇÃO

Além da mala, na hora de sair de casa há outros itens que você deve se lembrar de pegar. Faça uma lista e deixe bem visível para verificar, na pressa de sair, se não esqueceu nada:

carteirinha do plano de saúde ou cartão do SUS. cartão de pré-natal ou carta do médico com informações do pré-natal.

documentos pessoais

Acompanhamento no Parto

Lei obriga que seja permitida um acompanhante no trabalho de parto, durante o parto e no pós-parto imediato.

Sacola da mamãe

01 - pacote de absorvente próprio para o pós-parto 01 - chinelo de quarto

03 - jogos de camisolas que sejam de fácil manejo para a amamentação

06 - calcinhas de tamanho maior do que usava antes de engravidar

01 - cinta pós-parto,toalha de banho.

01  - roupa para o dia de alta

02  - sutiãs de amamentação

01 - pomada pra rachadura de seio

protetores de seios

absorventes para seios

concha para seio

produtos de higiene íntima: escova de dentes, escova de cabelos, shampoo, sabonete, creme dental, toalhas e demais itens de banho.

SACOLA DO BEBE

01 - creme para prevenção de assaduras

01 - pacote de fralda descartável (tamanho recém-nascido ou P ).

03 - body•

03 - calça/mijão/culote/meia.

02 - casaquinhos
03 - macacão de recém-nascido 02 - lençol de bercinho

01 - manta (de acordo com a estação) e 03 cobertores para enrolar o bebê.

06 - fraldas de pano (brancas, sem pintura)

02- toalhas com capuz

01 - escovinha macia para cabelos
02 - sapatinhos e luvas de lã (no frio) e touca
03 - produtos de higiene (lenço umedecido, sabonete liquido ou barra, shampoo).

lembrancinhas
enfeite de porta

Esta é a lista mínima, fica a critério de cada um o que desejar levar a mais.

10 REGRINHAS BÁSICAS PARA VISITAS NA MATERNIDADE

1.   Não vá à maternidade se estiver resfriado, com febre, doenças respiratórias ou contagiosas. Não visite o bebê enquanto não estiver são.

2.   Não é permitida entrada de menores de 12 anos.

3.   Seja breve. Não ultrapasse 15 minutos na maternidade .

4.   Não é permitida a entrada de flores na maternidade.

6.   Não dê palpites sobre o jeito certo de criar o recém-nascido. Suas palavras de incentivo devem contribuir para mãe descobrir um jeito próprio de criar o filho.

7.   Hora de amamentar = hora de ir embora

8.   Lave as mãos ou passe álcool com gel na hora em que entrar no quarto da. Resista à tentação de pegar o bebê no colo.

9.   Retire-se do quarto, caso haja uma intervenção da equipe de enfermagem ou médica .

10.  Tire foto somente com a permissão dos pais.

Vacinas e testes no recém-nascidos
  • Olhinho. Este é o nome popular do teste do reflexo vermelho. É feito com o uso do oftalmoscópio, um aparelho que emite luz e produz uma cor avermelhada nos olhos saudáveis, descartando a presença de tumores ou de catarata.
  • Orelhinha, também conhecido como triagem auditiva ou teste de emissões otoacústicas, para verificar se seu bebê escuta perfeitamente. Deficiências auditivas detectadas precocemente Facilitam a reabilitação e a aquisição da fala.
  • Coraçãozinho, como chamamos habitualmente a triagem para cardiopatias. É um exame muito simples, não invasivo e altamente eficiente para diagnosticar problemas cardíacos

vacinas do recém-nascido :BCG e Hepatite B.

DOCUMENTAÇÃO

IMPORTANTE:

A declaração de nascido vivo (DNV) do bebê

estará disponível a partir do lg dia de vida do seu bebê, para facilitar o registro de nascimento. A Santa Casa de Avaré conta com o serviço de cartório muito próximo para facilitar a saída de alta já com o registro do seu bebê efetuado.

No dia da alta a paciente receberá orientações dos profissionais da instituição e terá oportunidade de esclarecer todas as suas dúvidas. Temos uma equipe de enfermeiras Obstetras e profissionais de enfermagem para sanar todas as dúvidas.

GUIA DE ORIENTAÇÃO AOS ACOMPANHANTES E VISITANTES

QUEM TEM DIREITO A ACOMPANHANTE?

1. Toda mulher que esteja em trabalho de parto, parto e pós-parto imediato, nos hospitais públicos e conveniados com o Sistema Único de Saúde - SUS, conforme a Lei n5 11.108/2005.

DEVERES DO ACOMPANHANTE

  1. Permanecer junto à paciente, prestando o cuidado necessário.
  2. Usar roupa adequada e sapatos fechados.
  3. Preservar a higiene da enfermaria.
  4. Seguir as orientações da equipe de saúde.
  5. Informar à equipe de saúde alterações importantes que ocorram com a paciente.
  6. Lavar as mãos para prevenir infecção hospitalar.
  7. Utilizar somente as cadeiras disponíveis para os acompanhantes, não deitar e nem sentar nas camas.
  8. Não trazer preocupação à paciente.
  9. Evitar o uso do celular próximo ao leito da paciente.
  10. NÃO AMAMENTAR (ACOMPANHANTE OU VISITANTE)OU LEVAR LEITE ARTIFICIAL NA MATERNIDADE.

OBS: O acompanhante deverá ser maior de 18 anos e.preferencialmente. menor de 65.

NÃO É PERMITIDO

  1. Utilizar o celular na sala de parto.
  2. Fumar nas dependências da Maternidade.
  3. Transitar no hospital após as 21 horas. Em caso de saída, não será autorizado o retorno.
  4. Filmar ou fotografar na Sala de Parto, Centro Cirúrgico, Berçário, e Enfermarias sem autorização da equipe assistencial.

 

ORIENTAÇÕES AO ACOMPANHANTE MASCULINO

Sejam bem-vindos à maternidade! Sua presença é de extrema importância no cuidado à sua companheira e ao seu bebê!

Solicitamos a todos vocês que, ao acompanharem suas esposas, observem as seguintes orientações:

No momento do exame das pacientes nas enfermarias, solicitamos que os acompanhantes masculinos aguardem no corredor.

Colabore com a equipe de saúde a fim de garantir o bem-estar e o bom andamento da assistência prestada às pacientes.

IMPORTANTE

Os senhores poderão utilizar o banheiro do final do corredor da maternidade, dando maior privacidade as puérperas e parturientes.

PARTO NORMAL

parto normal é a melhor opção para o bebê.

Se tudo estiver bem com a mãe e com a criança, esse é o tipo de parto mais indicado. "A passagem do bebê pelo canal vaginal é muito importante e prepara o seu pulmão para o ambiente externo. Tem trabalhos que mostram que nessa passagem a criança entra em contato com bactérias e isso diminui a chance de algumas doenças aparecerem na vida adulta, como diabetes e asma. Também tem a questão de que, logo que nasce, o filho vai direto para o ventre materno e tem o contato pele a pele",

Diferente de uma cesárea agendada, no parto normal quem decide o momento de chegar ao mundo é a própria criança. Mas é importante ressaltar que o acompanhamento médico durante a gestação tem um papel fundamental: "Desde que tenha condições de realizar um parto bem assistido e que a gravidez seja de baixo risco, sem contraindicações, esse tipo de parto trará mais benefícios. A possibilidade da amamentação acontecer na primeira hora de vida também é outro ponto favorável",

ALEITAMENTO MATERNO

O Ministério da Saúde recomenda a amamentação até os dois anos de idade ou mais, e que nos primeiros 6 meses, o bebê receba somente leite materno, sem necessidade de sucos, chás, água e outros alimentos. Quanto mais tempo o bebê mamar no peito, melhor para ele e para a mãe. Depois dos 6 meses, a amamentação deve ser complementada com outros alimentos saudáveis e de hábitos da família.

Amamentar é muito mais do que nutrir a criança. É um processo que envolve interação profunda entre mãe e filho, com repercussões no estado nutricional da criança, em sua habilidade de se defender de infecções, em sua fisiologia e no seu desenvolvimento cognitivo e emocional.

  • Endereço
    Rua Paraíba, 1003
    Centro
    Estância Turística de Avaré
  • (14) 3711-9100
  • horario de funcionamento
  • Internações 24hs
  • Urgência e Emerêgncia 24hs
  • Setores Administrativos:
  • Segunda a Quinta: 07:00 às 17:00
  • Sexta: 07:00 às 16:00